INTELIGÊNCIA PRISIONAL: UMA ANÁLISE DA SUA VIABILIDADE NO COMBATE AS ORGANIZAÇÕES CRIMINOSAS INSTALADAS NA PENITENCIÁRIA LEMOS DE BRITO

2018

Caique Neri Porto Santos

A Penitenciária Lemos de Brito é a maior unidade carcerária na cidade de Salvador e se localiza no Complexo da Mata Escura, sendo conhecida como uma unidade prisional com péssimas condições de salubridade e superlotação de internos. Nesse cenário as organizações criminosas tornam-se bom atrativo para aqueles que necessitam e não podem bancar serviços como os de assessoria jurídica e médico-hospitalar para si mesmo ou familiares, posto que tal prestação é negada pelo Estado. Assim, o ambiente carcerário fomenta a articulação criminosa e propicia o surgimento de organizações criminosas no âmbito do sistema prisional, o que gera reflexos não apenas no interior das unidades prisionais, mas também no ambiente externo, logo, é importante que as autoridades atuem de forma a prevenir e reprimir o cometimento de crimes por sujeitos que encontram-se sob a tutela estatal e neste ponto a atividade de inteligência possui especial relevância no monitoramento do sistema prisional e identificação dos líderes das organizações criminosas ali instaladas, possibilitando, assim, o afastamento destes do convívio com os demais presos como forma de se evitar o desempenho da atividade criminosa pelas facções prisionais.